Trabalhos – EM BUSCA DO TESOURO (SELF) PERDIDO

 


         Este artigo trata do estudo de caso de um paciente de nove anos, o qual se encontrava em um estado regressivo, expressava significativa agressividade, uma simbolização arcaica e apresentava um pensamento onipotente, mostrando claramente um estado de desintegração. Estes comportamentos remetiam a falhas nos estágios iniciais do seu desenvolvimento, provindas tanto das vivências de seu relacionamento com sua mãe, quanto do contexto familiar como um todo. Tais falhas provocaram traumas e rupturas na sua continuidade de ser, que acabaram por encobrir seu verdadeiro self. O manejo, a manutenção do setting e a abstenção da interpretação formaram a base do tratamento. Para compreender o paciente, bem como sua evolução no processo psicoterápico, utilizo neste estudo predominantemente o aporte psicanalítico de D. Winnicott e alguns autores contemporâneos que se apropriam das concepções deste autor, e que destacam a importância do holding, da função materna e estrutura familiar no desenvolvimento da criança, e a relevância da intervenção psicoterapêutica adaptada aos pacientes que apresentam tais rupturas, descontinuidades e traumas.

 


Palavras Chaves: Regressão, manejo, agressividade, holding, setting.



Sarah Falena Donatti Bressan
Psicóloga. Especialista Clínica – IPSI

 

 

 

 

RESUMO