Trabalhos – A RELAÇÃO MÃE – FILHO E A ORGANIZAÇÃO BORDERLINE

RESUMO

 

        O presente trabalho tem por objetivo promover uma reflexão a respeito da importância da figura materna nas etapas iniciais, estruturante da vida mental da criança. Para tanto, ilustra-se com um caso clínico de um adolescente de 12 anos, em atendimento psicoterápico há quatro anos.
        Descrevemos fatos da vida familiar, ressaltamos a relação ^mãe-filho, exemplificando com algumas vinhetas clínicas referentes aos dois primeiros anos de psicoterapia.
        A fragilidade dos primeiros vínculos e os sintomas apresentados, apontam para a hipótese diagnóstica de uma Organização Borderline de Personalidade. Por tanto, para o embasamento teórico psicanalítico, pesquisamos sobre os temas: Vínculo e Transtorno Borderline de Personalidade.

Palavras-chaves: Borderline, Vínvulos, Psicoterapia.

Leila Elisa Wendling Kuntzler

Psicóloga, Especialista Clínica – IPSI